Rogério Garcia, diretor Técnico do IBRACON (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil) Nacional, conduziu apresentação sobre o NRA (Novo Relatório do Auditor), durante reunião do CODIM (Comitê de Orientação para Divulgação de informações ao Mercado), em 15 de setembro de 2016. A reunião ocorreu na sede do IBRACON de forma mista (presencial e teleconferência) das 16 às 18 horas.

O Novo Relatório do Auditor será aplicado no Brasil nas auditorias de demonstrações contábeis a partir do exercício findo em 31/12/2016.

Haroldo Levy, coordenador do CODIM pela APIMEC (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais), destacou que o CODIM quer salientar a importância das companhias refletirem e abrirem as discussões sobre a nova forma de divulgar informações.

Ana Paula Tarossi, representante da ABRASCA (Associação Brasileira das Companhias Abertas), e Rogério Andrade, representante do CFC (Conselho Federal de Contabilidade), aceitaram ser os relatores do pronunciamento que o CODIM vai produzir sobre a Preparação para o Relatório do Auditor.

Apresentação - Rogério Garcia disse que o Novo Relatório do Auditor é uma iniciativa da IFAC (International Federation of Accountants) e traz mudanças significativas no formato e conteúdo de maneira a torná-lo mais transparente para os usuários.

Helmut Bossert, coordenador do CODIM pelo IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores), destacou a importância da transparência para o mercado de capitais. “O Novo Relatório do Auditor resulta de exigência de mais informações por parte dos investidores”, declarou Garcia. A implantação do NRA foi um dos desdobramentos da demanda por mais transparência na divulgação dos resultados das companhias, após a crise das grandes corporações norte-americanas e europeias em 2008.

Apesar de não requisitar mudanças com relação ao escopo do trabalho de auditoria, requer uma comunicação mais constante e eficiente entre os auditores, a administração da companhia auditada e seus órgãos de Governança Corporativa. Da mesma forma, também prevê empenho adicional para a sua preparação, já que o novo modelo apresenta conteúdo específico ao invés de um conteúdo padronizado. O novo relatório privilegiará a objetividade, com os assuntos apresentados em ordem decrescente de importância e destacando a opinião do auditor logo no primeiro parágrafo, declarou Rogério Garcia.

O auditor deverá especificar a razão pelo qual o assunto foi considerado relevante e incluir no relatório os principais assuntos de auditoria (“Key Audit Matters”), expondo em detalhes a situação encontrada na Companhia sob análise.

O Novo Relatório do Auditor já é aplicado em jurisdições como Reino Unido e Holanda, enriquecendo a discussão entre o auditor e a entidade auditada, além de trazer mudanças significativas no formato e conteúdo de maneira a torná-lo mais relevante para os usuários, em benefício do mercado e, consequentemente, da sociedade, concluiu Rogério Garcia.

Novo Relatório do Auditor Independente - Setembro de 2016